Fiat Ducato Maxi Apresenta: Pneu Furado.

Um furo num pneu é sempre inoportuno e sem duvida aborrecido.
Deparado com a inesperada situação de ter que mudar um pneu, eu, pessoalmente, tento controlar a fraseologia que o meu cérebro me obriga a partilhar (em voz alta) com quem esteja ao meu lado, mas nem sempre me e’ possível.
Depois de “compartilhar” o que me vai na alma, normalmente, é observado por mim um momento de silêncio no qual sou brutalmente ameaçado pela ideia, de que, talvez, o pneu sobresselente esteja vazio.
Como qualquer outro condutor já mudei muitas vezes pneus furados nos carros e carrinhas que conduzi, mas, nada até a data, me tinha preparado para o que me aconteceu, no outro dia, quando conduzia a minha Autocaravana numa Auto-estrada, aqui em Sydney, em direcção a minha casa.
Vinha sozinho e por sorte não vinha a ouvir musica. Ouvi um som estranho e logo conclui que era um pneu a esvaziar rapidamente, tão rapidamente que me vi obrigado a parar logo ali, com parte da Autocaravana ainda dentro da via rodoviária.

Contente com o facto de não me ter despistado ou coisa semelhante, não me dei ao trabalho de citar palavras ou frases inexistentes no dicionário (afinal não havia ninguém com quem as partilhar) e logo fui assombrado pela vergonhosa realidade de que não sabia exactamente onde o pneu sobresselente se encontrava alojado.
Claro que só poderia estar por baixo da Autocaravana e lá o encontrei, muito bem escondido pelo tanque de águas cinzentas e toda aquela parte da suspensão traseira da carrinha.
Depois de “lutar” com a tampa onde as ferramentas da Fiat Ducato estão alojadas (se alguém já tentou abrir esta tampa, entende o que estou a dizer), fui ao livro ver onde se coloca o macaco para levantar a Autocaravana, e assim mudar o pneu.
A primeira coisa que fiz foi descer o pneu sobressalente. Não é a coisa mais pratica que já vi pois não se vê o que se está a fazer, mas tudo bem o pneu desceu até ao chão.
Tudo bem, pensei eu. Agora o pneu está a mais de um metro de distancia debaixo da Autocaravana e (acreditem que tentei) não encontrei outra maneira de lhe chegar senão a de me deitar no chão, rastejar até onde foi possível agarrar no pneu e...sim agarrar, mas onde?
Mesmo usando toda a minha força e habilidade não me foi possível apanhar um sitio onde me desse a possibilidade de arrastar o pneu um pouco até a mim, para que assim pudesse desencaixar o fio de aço que o levanta e desce do sitio onde é arrumado.
Por esta altura, tão pouco imaginava como funcionava aquele sistema, e como não via a peça que segura o pneu ao cabo, tive que (ainda deitado no chão) apalpar a jante por dentro até encontrar algo que desencaixasse ou desapertasse.
Percebi que tinha algo de desenroscar e de imediato aquela peça plástica com rosca saiu.
Consegui levantar um lado do pneu com uma mão e com outra tentava desprender outra parte metálica que teimava em segurar o pneu e não saia de maneira nenhuma.
Deitado no chão, todo “borrado”, com as mãos arranhadas e a suar por todos os lados, estava, por esta altura, a dar total liberdade de expressão, á fraseologia escolhida pelo meu cérebro para “falar” através os meus dentes cerrados.
E foi já muito perto de ter esgotado o meu reportório de argumentação com a dita peça, que como que por magia, ela se desencaixou e passou pelo meio da jante, oferecendo a esta a tão esperada e, por mim desejada, carta de alforria.
Agora tinha o pneu sobresselente solto do elevador e a única passagem deste para o lado de fora da Autocaravana é pelo espaço que se cria levantando a viatura e retirando o pneu furado.
Claro que, como e’ habitual, uma das porcas que seguram a jante do pneu furado não queria sair.
Não sou pessoa desabituada a usar os músculos (faço-o todos os dias no meu trabalho), nunca eu imaginei que toda a minha força fosse capaz de torcer a chave de tubo que desaperta (era suposto desapertar) as porcas da jante sem, no entanto, desapertar a dita cuja... que lindo, pensei eu. E agora?
Fez-se luz no meu escurecido cérebro quando me lembrei que a Fiat oferece (pelo menos aqui na Austrália) três anos de assistência gratuita na rua. Com o “abençoado” telemóvel liguei para o número que vi no panfleto, expliquei a situação e só tive que esperar 45 minutos até ver o carro da salvação.
Sem pagar bilhete, era agora espectador do filme em que, há uma hora atrás, fora protagonista.
Incrédulo, via que o mecânico tão pouco conseguia desapertar a tal dita porca com a sua chave “profissional” de rodas em cruz. Foi então buscar um tubo com cerca de 80 cm de comprido para servir de alavanca e “pendurado” no tubo com o seu peso, lá conseguir desapertar a dita cuja.
O macaco de tesoura que vem com a viatura não parece muito forte e avisa para ninguém se meter debaixo da mesma...então como é que se muda o pneu? Como é que um homem chega ao pneu que substituí o furado? Metendo-se debaixo da Autocaravana, que foi exactamente o que o mecânico teve que fazer.
Sentado no chão com o pneu sobressalente entre as pernas, o desgraçado do mecânico elevava-o na tentativa de o encaixar nos pernos roscados. O peso da jante combinado com a necessidade de a alinhar na posição “secreta” dos pernos, tornou esta simples tarefa num verdadeiro pesadelo.
Sucesso foi obtido após várias tentativas frustradas. Aposto que, por esta altura, o mecânico estava já seriamente a pensar em mudar de profissão.
Depois de andar á “porrada” com o sistema de levantar o pneu furado para o seu sítio de pneu sobresselente, o mecânico estava finalmente livre para sonhar com um mundo onde não hajam Fiats Ducato, e eu, pronto a viajar para casa.
O pneu retirado (com 23.00kms) tem um furo que cabe um dedo, (estou para saber como tal aconteceu) por isso tem que ser substituído por um novo. Depois de telefonar para vários sítios, o melhor preço que consegui foi 300 dólares (152.00 Euros).
Passados dois dias lá fui substituir o pneu furado. Não foi nada que não tivesse visto antes, pena foi não ter levado comigo Pipocas e Coca-Cola para assistir novamente a este filme. Aqui os especialistas dos pneus, também se viram aflitos para terminar a simples tarefa de mudar um pneu.

Reparem no equipamento necessário, para um profissional mudar um simples pneu. Como é que um "homem" poderá fazer isto sozinho deitado na Auto-Estrada?


Uma hora e 190 Euros depois, estava a caminho de casa com um pneu novo e direcção alinhada.

Mudar um pneu numa Fiat Ducato Maxi, é uma experiencia que não desejo ao meu pior inimigo, mas se tiver que ser, prefiro que não me aconteça a mim.