Pernoitar dentro da Autocaravana "na rua".



Sou maior e vacinado, por isso não tenho vergonha nem medo de confessar: Sou uma daquelas pessoas que foge dos Parques de Campismo sempre que pode. Além disso, gosto de ser sincero, daí que, em vez de inventar desculpas para tal fobia, digo muito frontalmente, a primeira e sem dúvida a maior razão para tal é o elevado custo dos mesmos.
Sim, todos sabemos que os Parques de Campismo existem como se de um outro qualquer negócio se trata-se, por isso quanto mais puderam “extrair” da minha esquelética carteira melhor (para eles). Não quer dizer que não os use, quando estou por fora mais que duas semanas, não tenho outra alternativa.
Como somos quatro elementos nestas nossas aventuras, todas as vezes que entro num Parque de Campismo, comparo a experiência com a ida repetida ao cinema para ver o mesmo filme: “Tudo o vento levou”, neste caso, “ Todas as notas o Parque levou”.
Não vejo motivo para os usar mais que o estritamente necessário, acho que toda a confusão e perda de tempo que é o assinar de papéis, pagar, e encontrar o sítio a que temos direito, são momentos em que sinto a minha liberdade ser condicionada pelas leis do dito Parque e principalmente, pelos arames ou muros que demarcar os seus limites.
Nesta vida de Autocaravanista, a responsabilidade pela segurança da família cabe ao chefe de família que, neste caso, sou EU.
Dormir fora de Parques de Campismo tem as suas conveniências (aquelas que todos sabemos) e também tem os seus problemas (por vezes mais valia não saber).
Um Autocaravanista deve estar preparado para “o que der e vier” quando dorme “por fora”, seja com ou sem a sua esposa...
Aqui na Austrália é muito raro ter outra Autocaravana perto de mim, normalmente a minha é a única viatura a pernoitar naquela zona.
Em caso de as coisas se tornarem azedas no recanto escolhido para dormir, eu tenho um plano, o chamado “Plano de retirada José Rebelo”.
Não sou diferente de muitos homens de barba rija que fazem Autocaravanismo, por isso, tal e qual outros, a intenção de ser um dia ser proclamado “herói” é uma constante na minha vida. Mas, devo confessar, se realmente as coisas azedarem, eu sou o primeiro a me pirar...
O plano que em seguido descrevo, exige da parte do “chefe” método e disciplina militar.
Aqui fica a minha lista de procedimentos “Antes de ir para a cama” para que seja possível aplicar o “Plano de retirada José Rebelo”.
1-Estacionar de maneira a poder sair para a frente.
A maior parte das pessoas conduz melhor para a frente do que em marcha atrás.
2-Lavar os dentes.
Pela simples razão de que se a fuga não for bem sucedida, não termos que passar pela experiência de aparecer na “SIC” com um bocado de couve pendurado nos dentes da frente.
3-Fechar as portas (todas).
Parece óbvio, mas vezes sem conta, vou dar com as portas da cabine destravadas.
Antes de as travar, deve-se (na minha, e aqui apenas pessoal, opinião) certificar que a esposa está na parte de dentro da Autocaravana.
4-A chave de ignição deve estar muito perto da mesma, melhor ainda, na própria ignição. Isto por razões óbvias...
No caso de o gatuno entrar na viatura, não vai ter que bater em ninguém para encontrar as chaves, desta forma um homem só tem que se manter calado e ter a sorte que o gatuno nos leve para um sitio que ainda não conhecíamos.
Uma forma de desmoralizar qualquer gatuno, será ameaça-lo com a obrigação de despejar a sanita... ou com uma decalcomania na parte exterior da Autocaravana a dizer: Cuidado! Sogra no interior.
5-Baixar a antena (da Televisão)
A cama não foi feita para ver televisão, aliás, na realidade a cama foi inventada, e teve muito sucesso, naqueles tempos em que não havia televisão.
6- A louça deve ser lavada e arrumada nos devidos lugares.
A melhor maneira para evitar esta dor de cabeça, que é lavar a louça dentro de uma Autocaravana, na minha humilde opinião é: pedir à esposa que o faça ou, melhor ainda, ir comer fora.
7-Dormir em pijama.
Uma boa ideia será usar pijama de seda, este material é bastante “escorregadio” por isso, só tem vantagens quando um homem tem que “escorregar” para fora da cama em tempo recorde.
A outra razão é: nestes tempos que correm, “nem tudo que parece é”, por isso não é garantido que o gatuno seja um “macho latino”. Aqui na Austrália são altas as probabilidades de ser assaltado por “algo “ diferente. A última coisa que eu quero, é ser visto em cuecas por alguém “tão sensível”.
Conclusão:
Não existe melhor sensação do que o sentimento de liberdade que é acordar rodeado de sons da natureza. “Dormir na rua” é uma arte. Com o passar dos tempos a avaliação e eleição das zonas a pernoitar, torna-se mais apurada. Erros serão cometidos, mas como tudo na vida é com os erros que se aprende.
Por isso tem que se evitar pernoitar:
· Em ruas sem saída, ou/e sem luz.
· Perto de bares que fecham a altas horas da madrugada.
· Discotecas e zonas onde os jovens se reúnem para beber, fumar.
· Zonas com amplas áreas de terra batida, são propicias aos tolinhos dos carros “kitados” (desenhadores de donuts no chão), estes gostam de afiar os pneus depois da uma da manhã.
· Debaixo de árvores.
· Perto de auto-estradas.
· Recintos onde no dia a seguir é “dia de Feira”.
Para manter uma imagem própria de Autocaravanista deve-se:
· Não estacionar atravessado a ocupar 3 lugares
· Não estacionar tapando a visibilidade de lojas comerciais, e monumentos.
· Usar (sem abusar) de forma democrática o espaço físico existente em frente às zonas mais concorridas.
· Não sair da Autocaravana em pijama ou camisa de noite.
Para alguém que não tem Autocaravana, ver grandes grupos de Autocaravanas, provoca aquilo a que se pode chamar o sindroma de “Nós e Eles”, pelo que, a popularidade destas viaturas provoca maus olhares contra os donos das mesmas.
Já sei que legalmente as Autocaravanas podem (na maior parte das zonas) estar estacionadas, mas cabe a nós usar o chamado “Bom Senso” tornando o usufruto da mesma agradável para nós e não ofensivo para os outros.
José Rebelo

6 comments:

AuToCaRaVaNiStA said...

Boa Noite (Hora de Portugal 23H23m

O sentido de Humor do autocaravanista José Rebelo está 5 estrelas. Pena não havêr mais autocaravanistas com sentido de humor apurado, para um ambiente mais saudável no sei autocaravanista em geral. Continue assim. Estive á tempos com o seu sogro, fiquei a saber por ele que afinal o Mundo é pequeno.

Cumprimentos
jbmendes
www.autocaravanista.blogspot.com

Jose Rebelo said...

Caro Companheiro Mendes, sem dúvida que o mundo é pequeno, sorte minha que não lhe devo dinheiro (acho eu).
O Grande chefe (meu sogro) foi picado pelo vício do Autocaravanismo e agora também não quer outra, imagino eu que ele deve estar todo orgulhoso por ter um genro como eu, alto, bonito e Autocaravanista de alma.
Sem duvida que me mantenho a par do que se passa por ai em termos de Autocaravanismo.
Vezes sem conta, leio sobre companheiros uns contra outros. Façanhas daqueles que querem ser mais que o próximo, tipo: a minha é maior que a tua (autocaravana) e insultam-se “diplomaticamente” sem nunca chegarem a dizer o que realmente querem... sem duvidas que por vezes quase me fazem chorar.
Nessas alturas só me apetece escrever algo que me faça rir um pouco e com alguma sorte, alguém irá ler o que eu escrevi, relaxar, sorrir e lembrar-se que o Autocaravanismo não tem que ser cumprido como se de uma religião solitária se tratasse, mas sim, de uma forma de partilhar liberdade com a família e possíveis amigos, tudo isto numa relação sem leis e sem compromissos.
Não se esqueça de continuar a sorrir, melhor ainda, dê umas grandes gargalhadas, só desta forma se consegue Viver A Vida Vivo.
Um Grande abraço daqui da Família Rebelo para todos aí.
José Rebelo.

Elson said...

Elson-Belo Horizonte-Minas Gerais-Brasil. José Rebelo, gostei muito de sua orientação de como pernoitar na RUA com AUTOCARAVANA. nós Brasileiros denominamos Autocaravana de MOTORCASA. Também sou adepto de pernoitar na Rua. Tenho que dar mais algumas sugestões quanto ao aspecto de segurança. Procuro não viajar à noite e sempre chego ao local que vou estacionar para dormir durante o dia. Primeiro pergunto a um motorista de TAXI que conheça toda a cidade sobre um local seguro para pernoitar. Após receber dele a indicação, procuro informar de um policial sobre a área indicada pelo taxista, caso ele esteja de acordo, chegando ao local para o pernoite, procurar informar dos vizinhos, tocando nas casas para confirmar se o local é seguro. Assim tenho pernoitado em muitas cidades do Brasil sem ser molestado, nem siquer tocaram na lataria do autocaravana. Outra observação é vc ter meios de se defender dentro do autocaravana...1)-Tenho um sistema de alarme que aciono de dentro da casa mesmo com as portas trancadas. O sistema é independente do sistema de alarme que é acionado com a abertura das portas. Quem quer te molestar não quer ser visto e muito menos barulho, assim posso acionar o alarme quando perceber algum movimento extranho. 2)-O maior risco de ser abordado é quando entra ou sai do Autocaravana. Tenho sempre o cuidado de olhar ao redor do motorcasa antes de sair ou entrar. Procuro sempre preparar tudo antes de parar no local onde vou pernoitar. 3)- Pernoitar em outros locais como: Postos de Gasolina que funcionam 24h, próximo a Delegacia de Policia, Pronto-socorro de Hospitais, estacionamento de Hoteis. Adorei a receita do pão. Abraço - Elson
e-mail : marmel651@gmail.com

Edurana said...

A isto chama-se Autocaravanismo.
Gostei de ler estas suas palavras. Eu tambem prefiro a rua do que um parque de campismo.
Acima de tudo temos de respeitar o local para que o local nos respeite.
Um grande abraço para si

henrique bornes said...

Bem, antes de mais, digo-lhe que sigo o seu mundo de autocaravanismo na australia há uns anos. Desde que fez a transformação na sua 1ª iveco, mas acho que nunca escrevi nada no seu blog. Ora, como já alguém escreveu, é bom haver humoristas, pessoas bem dispostas. Eu, desde sempre fui aventureiro, desde interails, fazer férias com carrinhas, campismo, etc., agora também sou autocaravanista. Com 47 anos faço mesmo vida na minha autocaravana. Engraçado será dizer que quando me pedem a minha morada, pergunto sempre á minha mulher a matricula da dita cuja. Claro que temos uma casa, mas é da mulher, o que era meu, ou fiz uma doação á santa casa, ou vendi, neste momento em meu nome não tenho nada a não ser a minha autocaravana. Gosto de parar em todo o lado para pernoitar, ainda não entrei em nenhum parque de campismo, também sou contra essa modalidade. Então se temos uma casa ás costas e vamos fecha-la ainda mais? E depois os custos, eu até já abasteci os depósitos de agua de um riacho. Tenho sempre uma mangueira comprida, com uma bomba incorporada, assim, a 12mts, puxo agua para os depósitos, que levam 350lts. Quanto á segurança, tenho todos os tipos de alarmes, de fumo, de gas, trancas nas portas, como também o companheiro também escreve, deixo a dita cuja de frente e com as chaves na ignição. A única coisa que acho que falta ao companheiro é um "cospe chamas", algo que se fique com a arca cheia de carne, eheheheheheh. As coisas cá em Portugal estão a ficar muito complicadas, mas com precaução e tentar só ficar onde haja proteção, penso que ainda não é muito grave. Aliás, eu penso que quem quer roubar também tem cu e se de repente, um colega ao lado tombar, acho que todos temos o buraco no mesmo sitio.
Sr. José Rebelo, espero que esteja tudo a correr bem e se algum dia vier de férias e quiser beber umas bejecas cá com uma pessoa do norte, esteja á vontade.
Um grande abraço autocarvanista.
hmsbornes@gmail.com

Joao Madeira said...

Companheiro autocaravanista jose compartilho as mesmas ideias que apresentou no seu blog e comungo da mesma filosofia de vida do amigo. Parabéns pelos seus relatos com humor negro de algumas situações que passou, coisas que mais cedo ou mais tarde poderão acontecer quem anda de autocaravana! Achei piada justamente por ter a mesma ideia que você teve para ultrapassar essas peripercias e algumas já passei por elas na minha ainda pouca experiencia (maçarico)no autocaravanismo todos os dias aprendemos algo com a vida como dizia o poeta: Morrendo e aprendendo!Continue assim com essa fé pois irá com certeza chegar a bom porto. Bem haja e continue a deliciar-nos com as suas aventuras aí na australia ou noutra parte do planeta pois você é um espetáculo! Um abração JONH WOOD